• FECAM - Federação de Consórcios, Associações e Municípios de Santa Catarina

Antecipado encontro com governador sobre gripe A

A_nova_gripe_foi_o_principal_assunto_tratado_durante_audiencia_entre_a_FECAM_e_o_secretario_Valdir_Cobalchini

Antecipado encontro com governador sobre gripe A

Antecipado encontro com governador sobre gripe A 600 403 Fecam Portal

A reunião entre o conselho político da FECAM e o governador do Estado, que estava marcada para o dia 20, foi atencipada para segunda-feira (17), às 10h. No encontro, que será realizado na Casa D´Agronômica, serão tomadas decisões sobre a postura que os municípíos catarinenses irão adotar frente ao quadro de evolução da gripe A em Santa Catarina 

O objetivo é esclarecer dúvidas e debater sobre os decisões que os prefeitos devem tomar frente ao surto da doença. Estarão presentes os membros do conselho político da FECAM (que congrega os conselhos executivo, fiscal e deliberativo); os secretários executivos da associações microrregionais; o governador Luiz Henrique da Silveira; o secretário de Estado da Saúde, Dado Cherem; e o secretário de Estado de Coordenação e Articulação, Valdir Cobalchini.

A reunião foi marcada durante audiência na manhã de quinta-feira (13), na qual esteve presente o presidente da FECAM e prefeito de Palhoça, Ronério Heiderscheidt; o secretário Valdir Cobalchini; o diretor executivo da Federação, Celso Vedana; e o prefeito de Bom Jardim da Serra, Rivaldo Macari. Cobalchini solicitou o engajamento da FECAM para promover uma mobilização no sentido de esclarecer as dúvidas sobre o quadro da gripe A em Santa Catarina. O secretário deixou claro que não há motivo para pânico, e que os casos, tanto os suspeitos quanto os confirmados, estão sob controle do governo.

Para o presidente da FECAM, este é um momento em que os gestores municipais devem manter a tranquilidade para evitar o alarmismo entre a população dos municípios. "Temos que ter cautela", recomenda.

Cerca de 30 municípios catarinenses decretaram situação de emergência, e o próprio Estado, inclusive, fez o mesmo, para facilitar os trabalhos. Segundo Colbachini, o índice de óbitos em Santa Catarina em função de casos de gripe comum não se alterou. De 2007 e 2008, 70 pessoas foram vítimas da doença e, até o momento, cinco pessoas morreram em razão da gripe A.

 

Valquíria Guimarães
Assessoria de Comunicação