Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6 Alto contraste 6

Atualização da Matriz de Risco - 14 de Outubro

Saúde

16 de outubro de 2020 17:50

Estado atualizou a Matriz de Riscono site http://www.coronavirus.sc.gov.br/apoio-a-decisao/. Desde o dia 30 de setembro, os parâmetros da matriz foram reavaliados, e as dimensões consideradas são Evento Sentinela, Transmissibilidade, Monitoramento e a Capacidade de atenção.

Resumo da Matriz de Risco Epidemiológico – 14/10/2020

Nenhuma Região no Gravíssimo nas últimas 4 semanas, todas se mantêm fora de situação de risco máximo.
Aumentou o Risco: Houve aumento de risco apenas na Serra Catarinense .
São 12 Regiões no Grave, representa 75% das regiões de saúde em situação de risco.

Diminuíram o Risco: Alto Vale do Itajaí * do *Grave para o Alto:

▪️ Considerações por Dimensão que compõe o Mapa: A Dimensão Evento Sentinela. Que considera a mortalidade por Covid-19 como um sinal de alerta no agravamento da situação, está com 3 regiões no gravíssimo: Carbonifera, Alto Vale do Rio do Peixe e Laguna.

▪️A Dimensão Transmissibilidade alerta a partir do aumento de casos na região. Portanto quando há uma tendência de aumento com variação positiva significa que a região está com maior risco. Há 4 regiões no gravíssimo: Extremo Sul Catarinense, Grande Florianópolis, Planalto Norte e Serra Catarinense.

▪️A Dimensão Monitoramento considera a captação de casos pelos serviços locais. Ela identifica quando a região diminui a capacidade de identificar casos, ou seja, quando menos casos são investigados. Permanece sem nenhuma região no gravíssimo.

▪️A Dimensão Capacidade de Atenção mostra o uso das unidades de terapia intensiva das regiões, que é a principal forma de atenção aos casos graves. 87% das regiões estão na situação moderado, ou seja, de 16 das 14 regiões do Estado estão na melhor classificação possível pela matriz de risco.

De todos os casos suspeitos, em torno de 30% deles foram conformados.
Houve aumento na quantidade de casos ativos de uma semana para outra, passando de 7.293 para 7.440.