• FECAM - Federação de Consórcios, Associações e Municípios de Santa Catarina

Municípios prejudicados pela estiagem receberão R$ 22 milhões

Municípios prejudicados pela estiagem receberão R$ 22 milhões

Municípios prejudicados pela estiagem receberão R$ 22 milhões 150 150 Fecam Portal

O Governo do Estado vai investir R$ 22 milhões em obras de Infraestrutura no interior dos municípios atingidos pela estiagem. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (25), em Chapecó, pelo secretário de Coordenação e Articulação, Valdir Cobalchini, na reunião do comitê permanente de combate a estiagem.

De acordo com o secretário, que coordena o comitê, a necessidade de obras estruturantes para armazenamento e distribuição de água foi uma das ações apontadas pela maioria dos secretários de Desenvolvimento Regional presentes na reunião. "Vamos ter um projeto de Governo para combater os efeitos da estiagem e não ações isoladas como vinha ocorrendo", afirmou Cobalchini. "Agora vamos encaminhar os projetos de acordo com cada particularidade regional", completou.

Segundo ele, os projetos devem ser destinados a ações estruturantes, como armazenamento e distribuição de água. "Os maiores problemas apontados são no interior dos municípios, então agora precisamos definir com os secretários, através dos conselhos, os locais que serão construídos poços ou sistemas de armazenamento", salientou. "Todos os municípios que tiveram decreto de situação de emergência serão atendidos, de acordo com a sua população da zona rural", destacou o secretário.

Conforme Cobalchini, R$ 20 milhões destinados a esses investimentos virão da Defesa Civil nacional e a parcela estadual, cerca de R$ 2 milhões, será do orçamento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável. "É a primeira vez em Santa Catarina que uma estiagem continua na pauta do Governo mesmo após a chegada das chuvas", acrescentou.

Cobalchini explica que cada secretaria regional já possui um levantamento da situação e os principais causadores dos problemas da estiagem em suas regiões. "O Governo do Estado não ficará apenas nas medidas emergências, mas já começa a pensar em ações em médio e longo prazo. Nos últimos dez anos tivemos sete ocorrências de estiagem no Estado, por isso precisamos pensar em medidas preventivas, como essas que estão sendo estudadas", anunciou.

Integram o Comitê permanente de combate a estiagem, além da Secretaria de Coordenação e Articulação, as Secretarias de Agricultura, Justiça e Cidadania, Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico Sustentável e Fazenda, Departamento de Defesa Civil, Epagri, Cidasc, Casan e Fatma.

Secretaria de Estado de Coordenação e Articulação